Buscar
  • blanco

Pontos de autofoco - como tirar proveito das variações



A maioria das câmeras tem em seu visor alguns pontos marcados linearmente no quadro. Esses são os pontos de autofoco, e podem ser de enorme ajuda e um diferencial, se bem usados.


Então vamos lá, como já falei anteriormente o autofoco da câmera é feito através do contrate. Esse mecanismo identifica pontos de contraste no quadro e através deles vai definir automaticamente o ponto de foco crítico no quadro.


Nessa foto, coloquei o foco na parte mais baixa do quadro ( olhando no sentido vertical ) e consegui assim enquadrar mais céu e menos "chão". O pássaro veio de cortesia.

Mas então o foco da foto sempre vai ficar onde tem mais contraste?


Não, para isso existem os pontos de autofoco. Ao definir um ponto, você vai estar dizendo para a câmera que o objeto que deseja focar está próximo desse ponto. A busca por contraste, portanto, se limitará no quadro a apenas uma área bem próxima de onde você selecionou. Assim, temos um foco pontual, muito importante nas imagens de surfe.



Mas como fazer isso com objeto em movimento como surfistas?


É relativamente simples: as câmeras tem diversos modos de autofoco, e alguns deles acompanham objetos em movimento. Eu uso na minha Canon o modo AI-SERVO, em que o foco vai acompanhando o objeto em movimento e continua mesmo depois de tirada uma foto. Nesse modo e com um dos pontos de autofoco selecionado, é mais simples ir acompanhando o surfista sem perder o foco.


Normalmente, por questões estéticas mais tradicionais, o ponto de autofoco fica no meio do quadro. Realmente é o mais comum e sempre que termino um trabalho e guardo a câmera, antes volto a configuração inicial do ponto de autofoco no centro, caso tenha mexido nele.


Stephan Figueiredo e o foco no cantinho do quadro.

Mas é muito interessante e as vezes conveniente fotografar com outros pontos de foco do quadro. Ao mudar esse ponto ( cada câmera tem a sua configuração para isso ) você vai notar um sinal de destaque sobre o ponto escolhido. Costumo puxar para algum dos cantos quando quero enquadrar mais céu na foto ou objetos verticais no fundo. Assim mantenho o foco no onda, que estará na parte mais abaixo da foto, por exemplo.


Qualquer um dos pontos é válido, desde que faça sentido no quadro que você está visualizando. Apenas não recomendo usar a configuração que aciona todos os pontos da tela ao mesmo tempo, como já falei, a câmera tende a procurar os pontos mais contrastados da foto, que muitas vezes pode não ser a onda ou o surfista e, além disso, qualquer objeto que entre no quadro pode acabar levando o foco.


Eric de Souza, agora no outro canto do quadro. Fotos com o foco no canto são legais para enquadrar mais parede da onda e menos espuma

Acredito que seja mais uma forma de fugir do convencional, mais um recurso que pode ser usado em diferentes situações. Nas fotos que tiro na vertical ( e não são poucas ) faz mais sentido essa variação dos pontos, mas muitas vezes em uma foto horizontal também uso. Procure no manual da sua câmera como variar os pontos de autofoco e faça testes em diferentes situações. Não tenha medo de errar ou perder uma foto, hoje em dia tem mais uma dúzia de fotógrafos registrando tudo.


Exemplos do foco embaixo e no alto no quadro, sempre na onda.


Trekinho e Sifu, respectivamente em foco, mas não no centro do quadro.

42 visualizações
  • Black Instagram Icon
0