Buscar
  • blanco

Ciclos

Era um onda pequena, mas com um mar de possibilidades.



Ninguém soube exatamente onde ela nasceu, talvez nem tenham perguntado. Viajava milhas em silêncio, constante vagar numa direção. A força não vinha de si própria, era algo maior, um mar de dúvidas e inquietações, mas que no momento pouco a afetavam.


Ninguém sabia exatamente onde ela ia. Continuava a seguir, rumo bordejante, deslizando entre chão e céu. Viu ilhas bem ao longe, navios e pássaros a sobrevoar. Viu bem fundo e lá no alto, muita coisa a se explicar. Mas nunca parou. Embalo líquido. E em toda a trajetória, de nada também se apossou. Chegou límpida, clara como a própria água.

A onda quebrou e não deixou vestígios. Ninguém fotografou. A onda quebrou e fez silêncio, acabou num sopro, o vento terral foi o último a lhe tocar. No tempo exato de vir e ir. Foi-se a onda e ficou o mar.







11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo